A vida é engraçada.

 

A vida dá voltas engraçadas. Se nós deixármos, claro.
Há quatro anos atrás, acabadinha de chegar ao Cambodja, quando confrontada com a hipótese de ficar sozinha no sítio mais turistico do mundo, Siem Reap, numa mansão com segurança 24h pensei: Desculpa?! E se nos acontece qualquer coisa? E se somos assaltadas, raptadas, partimos um dedo, sei lá?!
Quatro anos depois, ando no meio do mato. Literalmente. Uma semana de montanha, caminhos tt, kuiteos e a mais completa imersão cultural nas comunidades indígenas deste país. E a ser paga para isso! E só paniquei (um bocadinho) quando o tal moço que me deixou uns dias há quatro anos atrás me disse: “não saias da estrada. A probabilidade de haver minas é mínima, mas nunca se sabe”… Ahah! Está bem,  mas isto ninguém me tira.